Blog

CATEGORIAS
ARQUIVOS

Roadtrip no México: o caribe mexicano é muito mais que Cancún

data do post 14/12/2021 autor do post Oaks Burritos categoria do post estrada
Playa Delfines – Cancún

Escrito por: Gabriel Ouriques

O México sempre foi um grande destino turístico, entretanto parece ter sido descoberto pelos brasileiros nos últimos anos e se tornou um dos lugares mais badalados.

Graças a Chaves, Chapolín e todos os dramas mexicanos, nós temos muitas referências deste país, porém só indo lá para entender a magnitude de suas cores, sabores, aromas e experiências. 

Eu caí na estrada para conhecer algumas das principais praias do Caribe Mexicano.

Quando escutamos Mar do Caribe, pensamos primeiramente em Ilhas da América Central como Jamaica ou Puerto Rico, porém o México também tem águas cristalinas, areias brancas e imensos recifes de corais. Praticamente todo o litoral do estado de Quintana Roo tem estas paisagem incríveis e apresenta flora e fauna especialmente diversas e belas.

Decidi fazer a viagem no mês de março. O início da primavera por lá apresenta temperaturas amenas e quase nada de chuva. Se você está planejando conhecer a região, o clima é um fator determinante; o período que eu mais desaconselho é durante o outono, entre agosto-outubro o clima é marcado por fortes chuvas e até mesmo furacões.

Outro aspecto que me motivou a escolher esta data, foi o equinócio de primavera.
Para a civilização Maya, este momento está fortemente associado à fertilidade e abundância das colheitas. Caso você queira visitar a pirâmide de Chichen-itzá no estado de Yucatán este é o dia ideal, mas prepare-se para encontrar multidões nível carnaval de rua.

Dia 1 :: Aeroporto de Cancún – Playa del Carmen

Aterrizei no aeroporto internacional de Cancún. Este é um dos terminais aéreos mais movimentados da América Latina, porém super organizado. Embora seja enorme, é fácil de você se encontrar por lá e todos os funcionários do aeroporto sabem pelo menos dois idiomas. 

Ali mesmo você pode alugar um carro, basta se dirigir a um dos guichês das locadoras; quase todas as marcas internacionais estão presentes. Minha dica é alugar pela internet com antecedência, assim você consegue os melhores carros e as tarifas mais baratas. Se você deixar para negociar no próprio aeroporto, pode perder dinheiro na cotação do dólar do balcão ou depender da disponibilidade de carros.

Decidi ficar toda a estadia no mesmo hotel e fazer viagens curtas para todos os destinos. Assim, eu consegui um desconto na diária do hotel, não me preocupei em fazer as malas a cada nova viagem, e meu corpo se acostumou a uma única cama.

Escolhi Playa del Carmen para ser minha cidade base. Na minha opinião, Playa é um ponto médio entre Cancún e Tulum, fica próximo a diversas outras praias e tem diversas atrações turísticas ali do lado.

Minha opção de estadia foi um hotel simples, porém com piscina, estacionamento, internet, ar condicionado e café da manhã incluídos.

 

Dias 2 e 3 :: Playa del Carmen

Parque de los Fundadores – Playa del Carmen

Minha chegada foi durante um dos finais de semana da mais movimentados do ano, e aconteceu algo inédito até mesmo para os padrões do turismo de lá: NÃO HAVIA CARROS PARA ALUGAR 😱. Eu não me preocupei porque a praia onde estava tem muitas atrações e eu pude aproveitar para conhecer a vizinhança a pé.

Playa del Carmen é uma praia pouco conhecida pelos brazucas.
É um destino com muitos albergues e hotéis ligeiramente mais simples. Durante a pandemia, foi escolhida por hipsters de todo o mundo como o lugar ideal para fazer home office. Aqui, você vai encontrar diversas opções gastronômicas desde preços moderados até um pouco mais salgados.

As ruas são numeradas como em NY: as avenidas paralelas ao mar contam de 5 em 5 (Avenida 5, 10, 15, 20, 25…) e as ruas, contam de 2 em 2: a Rua “zero” se chama Av. Benito Juárez e a partir daí começa a contagem (2, 4, 6, 8…) começando pelo centrinho da praia rumo ao norte.

A quinta avenida é uma das ruas mais movimentadas, você vai encontrar quilômetros de bares, restaurantes, lojas, centros comerciais, banquinhas de artesanato, artistas de rua e tudo mais que a turistada ama.

O clima estava perfeito, o mar quente e sem algas, e a praia muito convidativa. Reservei uma das tardes para ficar em um clube de praia e acabar com o meu bronzeado de palmito.

Dia 4 :: Tulum

A viagem de Playa del Carmen a Tulum é super tranquila, a estrada é maravilhosa e você não vai passar por nenhum pedágio. É uma viagem de 66km que você pode fazer em pouco menos de uma hora.

Se você está buscando luxo e glamour, Tulum é a praia ideal. Lá o que impera são os hotéis boutique com poucos quartos e experiências de deixar qualquer influencer com inveja. Na minha opinião é um destino ideal para casais. As opções gastronômicas envolvem grandes chefs, culinária internacional e drinks com ingredientes que você nunca escutou antes.

Escultura “Ven a la luz” – Tulum

É importante abrir um parêntesis para explicar que muitas praias do litoral mexicano ficam sob a responsabilidade de hotéis e clubes de praia. Para acessar estes lugares, você precisa pagar um ingresso ou ser hóspede de ditos hotéis. Tulum é conhecida por ter restaurantes e clubes de praia onde o consumo mínimo pode ficar em US$100. Porém, há algumas praias públicas que oferecem as mesmas paisagens de graça.

Minha primeira parada foi Playa Paraíso, em Tulum. Nesta praia você pode contratar o serviço de barcos de passeio que levam você até a Zona Arqueológica de Tulum. O passeio é maravilhoso e você conhece um pouco da imponência os Maias no mundo antes da conquista dos espanhóis.

   

Depois disso os barcos ancoram em alto mar e todos os tripulantes são encorajados a um mergulho de snorkel onde pude ver tartarugas, arraias e peixes no meio dos corais.

A noite foi momento de ostentação. Saí para passear pelos restaurantes e hotéis boutique da zona hoteleira de Tulum. Aqui encontrei drinks super exóticos com Mezcal (nome atribuído a todos os destilados de agave, entre eles a Tequila).

Dia 5 :: Xpu-ha + Akumal 

Cenote Azul – Xpu-há

No segundo dia de carro, meu destino foi Xpu-Há (pronuncia-se ish-pú-rá) e o Cenote Azul. Cenote é o nome atribuído à estas piscinas naturais de água cristalina formadas pela erosão de rios subterrâneos. É uma loucura.

Para chegar a estes locais, dirigi por 30 minutos. Uma das vantagens de estar em Playa del Carmen. Os próprios cenotes tem estacionamento e normalmente o máximo que você vai pagar para estacionar é a gorjeta de quem está na portaria.

O Cenote Azul é um dos mais conhecidos e recomendados, o complexo é formado por várias piscinas interconectadas. Passei a manhã inteira lá nadando com peixinhos minúsculos que mordiscam os pés enquanto você descansa. O fato dos peixinhos morderem os pés é considerado terapêutico porque eles comem a pele morta, tem até SPAs que cobram uma tortura para fazer isso que ali tem de graça.

Na tarde, fui até Playa Akumal (pronuncia-se Acumal, mas essa “L” não tem som de “U”), uma praia muito calma, protegida por uma baía onde ali as tartarugas gigantes se juntam para comer.

Eu fiz outro mergulho de Snorkel e vi umas tartarugas do tamanho daquelas que ficaram famosas na ilha de Galápagos, bichos enormes mesmo! Como eu fui pra lá já um pouco tarde, consegui nadar bastante tempo sem ter que competir espaço com outros grupos de turistas.

Dia 6 :: Cancún

É obvio que Cancún não poderia faltar no meu passeio. A viagem entre Playa del Carmen e Cancún é de aproximadamente 1 hora e meia. Alguns trechos da estrada estavam em obras, então enfrentei alguns momentos pista simples e lentidão, mas o normal é uma pista dupla, plana e sem curvas; um tapete de tão boa.

Cancún abriga os maiores hotéis. Lá você vai encontrar resorts all inclusive com inúmeras piscinas, bares e restaurantes. É o lugar que popularizou o Spring break com festas homéricas. Eu recomendaria este destino para uma viagem entre amigos solteiros que buscam o descontrole. Aqui, as opções gastronômicas são grandes cadeias de alimentação como Hooters, Bubba Gump e IHOP.

Playa Delfines – Cancún

Na zona hoteleira de Cancún você também vai encontrar algumas praias sob a administração de hotéis. Visitei duas praias públicas: Playa Delfines e Playa Forum. 

Meu lugar escondido favorito de Cancún é o Farol de Punta Cancún. Para acessar a este lugar você precisa caminhar por algumas praias que estão sob a administração de resorts, porém com o nosso jeitinho brasileiro você consegue passar. A verdade é que o farol é um lugar público e os seguranças não podem impedir a sua passagem até lá.

O farol já não funciona, porém o por do sol desde ali é maravilhoso.

Farol de Punta Cancún – Cancún

Dia 7 :: Holbox

Completei uma semana no paraíso visitando um dos lugares mais curiosos da região: Holbox (pronuncia-se rol-bosh), uma ilha super extensa porém estreita, onde o mar nunca fica fundo.

Tá bem, “nunca” é maneira de dizer, mas em dias de maré baixa você pode andar 50 metros pra dentro do mar que a água não vai passar do seu peito. É uma ilha rodeada de águas transparentes do Mar do Golfo do México. Sim, estou tão ao norte que o mar muda de nome.

Para chegar nesta ilha você precisa dirigir por duas horas até o Porto de Chiquilá (tchi-qui-lá) para então pegar um Ferry Boat. Na estrada, você vai passar por uma reserva florestal e talvez ter que parar para algum animalzinho que esteja atravessando a rua (desde pequenos roedores até veados de 150kg, então tenha cuidado). A rodovia é pedagiada e está em ótimas condições, embora seja pista simples.

Na cidade de Chiquilá há vários estacionamentos que cobram super barato para você deixar o carro estacionado por turnos de 12 ou 24 horas.

Já dentro da ilha, tudo é pensado para respeitar ao meio ambiente. O transporte por ali é feito por carrinhos de golfe elétricos, bicicletas ou a pé. Os restaurantes servem peixes e frutos do mar que são pescados na própria ilha e tudo é extremamente delicioso.

Almocei no restaurante Hot Corner, mas o quente do lugar é mesmo à noite; quando bandas ao vivo fazem a população encher aquela esquina dançando salsa e outros ritmos caribenhos.

Infelizmente tive que voltar no início da noite para fazer a viagem de volta.

Se eu soubesse que Holbox era um lugar tão bonito e tranquilo eu tinha levado uma muda de roupas e alugado um quarto de hotel para passar pelo menos uma noite lá.

Dia 8 :: Puerto Aventuras

Tentei intercalar viagens longas e viagens curtas para sempre estar disposto a conhecer novos lugares. Como no dia anterior eu tinha pego 4 horas de estrada (entre ida e volta), resolvi ficar em uma praia bem próxima, porém igual de interessante.

Puerto Aventuras é praticamente a primeira praia ao sul de Playa del Carmen, dirigi uns 20 minutos para chegar até lá. É uma praia onde a maior parte de sua faixa de areia está sob os cuidados de um condomínio fechado. Para entrar, você precisa de um convite, que pode ser emitido por um morador do condomínio, ou por um dos restaurantes do lugar. Achei justo e como precisava almoçar, já uni o útil ao agradável.

Não é em vão que Puerto Aventuras tem este nome.

O condomínio também é um hotel e tem uma área onde os turistas podem entrar em contato com Leões Marinhos, Focas e Golfinhos. É verdade que não é tão bacana que animaizinhos estejam em cativeiro, porém o lugar é exremamente preocupado com o bem estar de seus hospedes animais. As piscinas naturais onde a vida marinha fica é bem amplo e os animais são endêmicos da região, o que garante que eles estão adaptados ao clima.

 

Adoratorio, ruinas Chac-hal-al – Puerto Aventuras

Até neste lugar eu consegui encontrar um cantinho escondido. Usando o Google Maps, descobri que o condomínio abrigava ruínas de construções Maias e uma piscina natural. Tive que caminhar pra caramba e até mesmo os funcionários do local não sabiam da existência deste local. Foi uma verdadeira aventura, porém encontrei o tal lugar completamente desabitado em meio a uma bela paisagem.

Dia 9 :: Chichen Itzá Valladolid

Desde a primeira vez que eu fui ao México, um dos meus maiores sonhos era conhecer Chichen-itzá uma das pirâmides mais incríveis já construídas pela humanidade. E para completar o passeio, meu nono dia de viagem era justamente o Equinócio de Primavera, o dia para o qual esta pirâmide foi construída.

A arquitetura e astrologia dos caras era tão avançada, que uma das faces do monumento foi construída alinhada ao por do sol do equinócio de primavera. Isso causa um efeito de sombras no qual se assemelha a uma serpente descendo os degraus da escada. Definitivamente um espetáculo único.

Pois o festival de primavera de Chicken-itzá tinha tudo para ser épico. Eu apenas não contava que em virtude da pandemia o evento seria cancelado e inclusive que a estrada estaria fechada. Eu fui descobrir isso 72km depois, já na divisa entre os estados de Quintana Roo e Yucatán.

Desvio a rota e acabo em Valladolid, uma das principais cidades do estado de Yucatán e uma das cidades com mais cenotes de toda a região. A primeira piscina natural que visito é o Cenote Saci, justo no centro da cidade.

Cenote Zaci – Valladolid

Depois, converso com os locais e recebo a recomendação de outro balneário, ainda maior há 40km do centro da cidade. Eis que chego a Ik-Kil. Para entrar a estes cenotes você precisa pagar uma taxa de entrada que ajuda os parques a manterem tudo limpo e organizado.

Cenote Ik-Kil – Valladolid

 

No final do dia, volto ao centro para terminar minha expedição em um terraço para assistir ao por do sol na praça principal da cidade.

Dia 10 :: Isla Mujeres

E eis que a viagem perfeita terminou com chave de ouro. Sim, as coisas ficaram ainda melhores. Dirijo a Cancún, até o terminal marítimo Puerto Juárez para embarcar em um Ferry Boat até Isla Mujeres. 

Aqui eu deixo que as fotos falem por si só. Este é o meu novo lugar favorito de todo o planeta.

Dia 11 :: Volta para casa

Ao todo, foram 11 de uma das melhores férias da minha vida. Aprendi muito sobre a história Maya, sobre a geografia da região, sobre como curtir absolutamente tudo sem me acabar em festas e, principalmente, uma nova forma de fazer turismo. Os lugares turísticos são legais? São. Entretanto, os bastidores podem ser incríveis.

compartilhe no pinterest

LEIA TAMBÉM

Mochilão pelo Nordeste: como foi conhecer 7 estados em 15 dias

Escrito por: Lucas Morellato   Desde criança, sempre gostei muito de viajar. Minha mãe tinha um atlas gigantesco e eu adorava fazer listas de países pra onde eu queria ir por causa das cores das bandeiras. Mas o meu sonho mesmo era conhecer o mundo inteiro – acho que nunca tinha parado pra pensar, até […]

Voluntariado no Nepal: experiências e aprendizados

Escrito por: Roberto Teixeira Recém-formados nas áreas de engenharia civil e arquitetura, eu, Luiz e Gabriel sentíamos muita vontade de usar os conhecimentos adquiridos na faculdade para contribuir de alguma forma para um mundo melhor. Com esse sentimento, começamos a pesquisar ONGs que facilitassem o trabalho voluntário relacionado à construção civil. Encontramos a Build Abroad […]

Surf na Costa Rica – O povo, a cultura e as ondas entre dois oceanos

Vontade de viver experiências novas, insatisfação no emprego e um pouco de dinheiro guardado foram os ingredientes perfeitos que no momento certo, me fizeram tomar a decisão de fazer as malas partir pra Costa Rica. Na verdade, sempre penso que a Costa Rica me escolheu. Dentre os tantos lugares que apliquei para vaga de voluntariado […]

OAK'S CALIFORNIA BURRITOS

em sua casa

Faça seu pedido diretamente na nossa plataforma de delivery. Acumule pontos e troque por prêmios exclusivos!
Pedir agora
A gente tem a entrega programada (catering)
Pedir agora